Morre PM que foi atacado com barra de ferro em ação policial no Pará

3889
O cabo da Polícia Militar, Elder Vilhena dos Santos, 37 anos não resistiu aos ataques de um homem que teve surto psicótico em ação policial registrado no dia 13 de janeiro no Pará.

O PM foi atacado com uma barra de ferro por um homem, de 44 anos, durante uma ação da polícia que tentava contê-lo, em um bairro da periferia da Belém. O caso ocorreu no dia 13.

O Cabo Elder estava internado em estado grave desde que sofreu a agressão, com traumatismo craniano e um ferimento grave próximo aos olhos.

Após 05 dias de internação o hospital confirmou a morte do policial às 17h30 do dia 18/01/2021 por parada cardiorrespiratória.

A vítima estava junto com outros policiais da Rotam (Rondas Ostensivas Táticas), que foi acionada por moradores do bairro do Tenoné, pedindo ajuda para controlar um homem que estava “transtornado” e ameaçando os demais com uma barra de ferro.

Confira nosso artigo sobre “Doutrina de Uso Proporcional de Força”.

Os policiais chegaram a disparar 17 tiros de borracha, mas o agressor continuou avançando contra eles. Toda a ação foi gravada pelos moradores.

O Cabo Elder aparece nas imagens sendo encurralado pelo suspeito. Ele corre de costas e cai no chão e recebe vários golpes com a barra de ferro na cabeça.

Os policiais reagiram com disparos letais e o agressor morreu no local.

O Comando da Polícia Militar do Estado do Pará emitiu nota de pesar pela morte do PM.

Fonte: UOL

Participe de nossa enquete deixando sua resposta em nosso espaço de comentário logo abaixo.

1. Você acredita que armas não letais, como balas de borracha (elastômero), são eficientes para parar agressores mentalmente transtornados? Sim ou não?

 

2. Você já participou de alguma ocorrência em que foi necessário o uso de uma arma não-letal (bala de borracha, arma de choque elétrico, espargidor de gás pimenta, etc)?. Conte-nos como foi essa ocorrência.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui